sexta-feira, 17 de abril de 2009

Uma verdade conveniente


Eu sabia, um dia tudo viria à tona. Por causa da minha fama e dos erros do passado, qualquer coisa que pula fora do lugar acham que fui eu. Enquanto isso, a sonsa da Feijuca faz aquela cara de vira-latas abandonado (essa aí de cima) e fica de boa. Quando as pessoas viram as costas, eu tô lá encolhida debaixo do móvel com medo da bronca, e a Feijuca, com aquele riso irônico estampado na fuça. Aconteceu com os jornais despedaçados, aconteceu com pote de água virado, e, finalmente, aconteceu com o jardim, ou melhor ex-jardim.

2 comentários:

Mutante disse...

tadinha, essa feijuca parece o Jerry, e a Maga ficou meio Tom nessa história...rs

Anônimo disse...

Por que nao:)