terça-feira, 29 de abril de 2008

Penso, logo insisto - parte 4

Depressivo, o macaco bugio, de 8 anos, recebeu o nome de Gardenal, desde que chegou à ONG. Vendido pelo tráfico, viveu desde bebê com uma senhora, que o criou como um cão mimado. Dormia com o bicho, levava-o de baixo para cima e dava-lhe comida, embora a alimentação de um macaco bugio seja baseada só em folhas.
Quando o macaco cresceu, e claro, começou a fazer macaquices, a mulher o abandonou. Na sua ignorância máxima, aliás comum a todos que compram bichos silvestres do tráfico, a mulher achou que o macaco se comportaria como um gato doméstico a vida toda.
Abandonado, hoje Gardenal é tratado com anti-depressivos e está fadado a viver sozinho em cativeiro, pois jamais se acostumará com outros da mesma espécie.